Soja sobe pela quarta sessão em Chicago nesta 5ª e mercado no BR foca TEC zero para importações


Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago sobem nesta quinta-feira (27) e já marcam a quarta sessão consecutiva de ganhos na CBOT. Por volta de 7h05 (horário de Brasília), as altas variavam de 4 e 5,50 pontos nos contratos mais negociados, levando o novembro a US$ 9,30 e e o maio a US$ 9,38 por bushel. 

A demanda forte da China nos EUA tem sido um dos principais insumos para este avanço dos preços, segundo analistas e consultores de mercado. Ontem, a nação asiática fez uma nova compra de 400 mil toneladas - elevando o total nesta semana a mais de 700 mil - e estimativas indicam que as importações da nação asiática serão recordes nos EUA e podem chegar a 40 milhões de toneladas neste ano. 

+ China compra mais 400 mil t de soja dos EUA e volume deve ser recorde em 2020

Do outro lado, segue a atenção ao clima nos EUA e a falta de chuvas que ainda preocupa o produtor americano, principalmente no Oeste do Corn Belt. "A secea nos EUA é uma preocupação, mas não o assunto principal. A peça chave  são as compras chinesas", disse um analista internacional a Reuters Internacional. 

O mercado se atenta ainda ao furacão Laura, que se aproxima do Golfo dos EUA e pode causar danos aos estados do Texas e da Louisiana. 




+ Furacão Laura se dirige à Costa do Golfo dos EUA com previsão de danos catastróficos

"Mercado internacional atento ao furacão Laura nos EUA, às novas estimativas de safra dos EUA e de possíveis novas compras pela China", afirma o consultor de mercado Steve Cachia, da Cerealpar. Além disso, destaca ainda a atenção do mercado aos números das vendas semanais para exportação que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz nesta quinta com expectativas para a soja de 1,2 a 2,4 milhões de toneladas. 

No cenário brasileiro, foco no dólar - que ontem fechou acima dos R$ 5,60 - e a possibilidade da isenção de tarifas de importação para soja, milho e arroz de países de fora do Mercosul. 

+ Sem 8% na tarifa de importação, Brasil pode comprar até 1 milhão de toneladas de soja dos EUA, estima Agrinvest

+ "Finanças públicas não recomendam medidas como essa", diz economista da Farsul sobre TEC zerada para soja, milho e arroz

"O mercado interno de soja e milho pode viver momento mais calmo, com talvez mais ofertas principalmente no milho, caso se confirmam importações livre de tarifas pelo Brasil. Mas essa notícia, no curto prazo, não é suficiente para esfriar a corrida altista dos preços e o comportamento depende mais da atuação do dólar e também de Chicago no momento", completa. 

1 visualização

Associação Comercial dos Produtores e Usuários da CEASA Grande Rio e São Gonçalo

Irajá: Av. Brasil, 19.001 - Pav. 43 - Cab. Sul - (21) 3371-0122 / 3371-0156
Colubandê: Rodovia Amaral Peixoto Km 9,5 - Pav. E - (21) 2601-5994