Frango, ovo, milho e inflação em maio de 2020 e na vigência do real


Como seus preços retrocederam 6,64% em abril, o milho voltou a registrar – na vigência do real – evolução inferior à da inflação. Por enquanto, porém, por margem mínima, já que a diferença a menos é de apenas 21,84 pontos percentuais.


Não é o caso do ovo que, mesmo obtendo reajustes pelo terceiro mês consecutivo, fechou abril a uma distância de 224,53 pontos percentuais da inflação do real, com uma valorização de 440,13%.


Surpreendentemente, porém, desta vez a situação do frango é bem pior. Pois, ao registrar redução de preço de 10,15% em abril e de quase 18% em 12 meses, o produto encerrou o primeiro quadrimestre de 2020 com uma valorização de 386,67% no real.


Em outras palavras, o frango vivo registra perda de quase 280 pontos percentuais, o que significa que – tivesse acompanhado a inflação – teria sido comercializado no mês por valor próximo de R$4,60/kg. Mas alcançou pouco mais de 60% desse valor.

O mais interessante, porém (vide gráfico abaixo), é que o ovo fechou abril com uma evolução de preço superior à do frango vivo.


Não chega a ser fato inédito, mas é raro. Nos últimos 18 anos o frango registrou preços que, em média, ficaram 82,1 pontos percentuais acima dos do ovo. E, nesse período, em apenas duas ocasiões os preços do ovo tiveram evolução de preço superior à do frango: por seis meses consecutivos em 2017 (ano em que o frango enfrentou os efeitos da Operação Carne Fraca) e em março de 2018. Desta vez, mais um dos efeitos da Covid-19.


Fonte: Granjeiros

0 visualização

Associação Comercial dos Produtores e Usuários da CEASA Grande Rio e São Gonçalo

Irajá: Av. Brasil, 19.001 - Pav. 43 - Cab. Sul - (21) 3371-0122 / 3371-0156
Colubandê: Rodovia Amaral Peixoto Km 9,5 - Pav. E - (21) 2601-5994