Banana: Mercosul é uma alternativa aos produtores brasileiros



Apesar de a pandemia do novo coronavírus afetar a dinâmica do mercado mundial, produtores brasileiros de banana avaliam que as exportações para o Mercado Comum do Sul (Mercosul) estão atrativas. Assim, os envios aos países vizinhos têm sido uma boa alternativa para o escoamento da fruta, já que demanda nacional está enfraquecida no momento.


Com isso, o volume de banana fresca embarcado ao bloco aumentou em abril, totalizando 6,9 mil toneladas, valor 11% superior a março deste ano e 72% maior que o de abril de 2019, de acordo com a Secex (Secretaria de Comércio Exterior). Este aumento se deve, principalmente, à maior quantidade enviada para a Argentina, que consumiu 3,8 mil toneladas da fruta, mais da metade do total, com crescimento de 175% em comparação com o mesmo período do ano anterior.


Vale ressaltar que a oferta de banana no Norte de Santa Catarina, principal região exportadora ao Mercosul, estava controlada em abril, devido à seca que antingiu a praça nos meses anteriores – afetando a produção e postergando o início da safra. Mas, por outro lado, o Vale do Ribeira (SP) retomou o registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e, consequentemente, as exportações ao bloco no período.


Apesar das incertezas quanto aos próximos meses, espera-se que as exportações se mantenham aquecidas, diante das atividades das safras do Vale do Ribeira e do Norte de Santa Catarina, já que produtores devem tentar escoar as bananas fora do mercado interno.


Fonte: Cepea/Hortifruti
0 visualização

Associação Comercial dos Produtores e Usuários da CEASA Grande Rio e São Gonçalo

Irajá: Av. Brasil, 19.001 - Pav. 43 - Cab. Sul - (21) 3371-0122 / 3371-0156
Colubandê: Rodovia Amaral Peixoto Km 9,5 - Pav. E - (21) 2601-5994